20 dezembro 2015

[COM SPOILERS] Momento Popcorn: Star Wars - O Despertar da Força






Atenção: Este post contém revelações sobre o enredo.

Título: Star Wars - O Despertar da Força.
Ano de Lançamento: 2015.
Elenco principal: Daisy Ridley, John Boyega, Oscar Isaac, Adam Driver, Harrison Ford, Carrie Fisher, Mark Hamill, Lupita Nyong'o, Peter Mayhew, Gwendoline Christie, Andy Serkis, Anthony Daniels, Kenny Baker.

Sinopse:
Muito tempo após os fatos de "O Retorno de Jedi", encontra-se a Primeira Ordem, uma organização sombria iniciada após a queda de Darth Vader e do Império. O grupo está em busca do poderoso Jedi Luke Skywalker, mas terão que enfrentar outro grupo em busca de Luke: a Resistência, liderada por Leia.


Trilha Sonora:

Como uma boa receita para continuação de um filme épico, o ingrediente secreto da trilha sonora deve ser adicionado. John Williams retornou aos estúdios para gravar as nossas músicas tão conhecidas e que não podiam ficar de fora do longa. Logo no comecinho, podemos agraciar nossos ouvidos com a música tema de Star Wars, que obviamente não podia faltar. Outra música de arrepiar é, claro, a Marcha Imperial, que toca sutilmente em uma cena, com um arranjo um pouco diferente do usual, um pouco mais fúnebre e misterioso. Fora isso, vamos precisar esperar sair o CD da OST, pois mesmo após o lançamento, ainda tem-se muito mistério acerca do filme.


Curiosidades:

A produção do filme preferiu por utilizar locações reais, modelos em miniatura com a tela verde e imagens geradas por computador para tentar fazer um filme esteticamente parecido com a trilogia original.

Este é o primeiro filme de J.J. Abrams que não contém uma trilha sonora de Michael Giacchino. Michael declarou que preferia escutar a trilha de John Williams que foi o responsável pela trilha sonora de todos os outros filmes de Star Wars.

Carrie Fisher e Mark Hamill tiveram que fazer dieta para emagrecer, exercícios e treinamento de dublê para se prepararem para interpretar seus personagens (Leia e Luke).

Durante as filmagens Harrison Ford quebrou o tornozelo na porta da nave Millenniun Falcon, o diretor J.J. Abrams distendeu a coluna tentando tirar Harrison de lá.

Mark Hamill tinha 63 anos durante as filmagens de O Despertar da Força, mesma idade de Alec Guinness quando gravou Guerra nas Estrelas (1977).

O droid BB8 é inspirado em um dos primeiros conceitos de Ralph McQuarrie para R2-D2, mas este conceito não foi utilizado pois era impossível de faze-lo funcionar em meados de 1970.

Mark Hamill e John Boyega pressionaram J.J. Abrams para liberar o filme para Daniel Fleetwood assistir antes do lançamento. Daniel sofria de um cancêr terminal e não iria sobreviver até a estreia do filme. Daniel faleceu em 10 de novembro de 2015.

Billie Lourd, filha de Carrie Fisher, esta no filme. Esse é o primeiro filme dela.



Critíca:

Olá Cults! Estamos aqui hoje excepcionalmente reunidas Bia e Pam para falar dessa saga que amamos e desse filme que massacrou com os nossos sentimentos. Por onde começar? Pelo começo, né? Porque nada mais emocionante do que ver ‘Lucas Film’ aparecer na tela do cinema, logo após ‘A long time ago in a galaxy far far away’ (Até aí, os olhos já estavam cheios de lágrimas) e então finalmente começa a tocar aquela música que tão bem conhecemos e a subir as letras com os dizeres sobre o episódio, fazendo as lágrimas descerem.

O filme já começa com Poe (Oscar Isaac), o melhor piloto da Resistência (Antiga Aliança Rebelde) no planeta Jakku, com seu dróide BB8 (que é uma fofura, por sinal). Eles estão lá para resgatar com um ancião, um arquivo que contém o mapa da localização de Luke Skywalker (Mark Hamill). Acontece que não é só a Resistência que está interessada nesse arquivo, mas também, a Primeira Ordem (Fazendo o papel do Império), que é liderada por Snoke (Andy Serkis) - O vilão “mor” dessa linha histórica - e seus… Lacaios, Kylo Ren (Adam Driver), Capitã Phasma (Gwendoline Christie) e General Hux (Domhnall Gleeson). Após determinados acontecimentos, Poe é salvo pelo Stormtrooper FN2187, mais tarde apelidado de Finn (John Boyega) pelo próprio Poe, e juntos, eles fogem de volta para Jakku, onde Poe precisa recuperar BB8.


Como sempre, as coisas não são fáceis para a Resistência, e muito menos para fugitivos da Primeira Ordem, e a maré de azar tem início quando a nave de Poe e Finn é abatida. Finn não encontra Poe, portanto, começa a vagar sozinho por Jakku, e é aí que conhecemos a maravilhosa da Rey (Daisy Ridley), que é órfã e procura peças em naves abatidas para conquistar o ‘pão nosso de cada dia’, e por uma façanha do destino, ela acaba topando com BB8, se apegando a ele, o protegendo e pensando em como ajudá-lo com sua ‘missão secreta’. O circo já está armado, só basta pegar fogo, não é?

Morrendo de sede e possivelmente faminto, o exausto Finn (o bichinho só cansa o filme inteiro) acaba se encontrando com Rey e BB8, que acaba acusando Finn de ter roubado seu mestre já que este usava a jaqueta de Poe. Conversa vai, conversa vem, Finn se explica, omitindo algumas partes e claro mentindo sobre outras (Você é da Resistência? Com certeza!). Mal acabou de se explicar e já tiveram que sair em uma fuga, já que a Primeira Ordem estava atrás deles, para ser mais específica atrás de Finn e BB8. Com direito a tiros, explosões, trapalhadas de Finn, naves explodindo e um… mito. Um mito? Sim um mito. Pois com a nave que iriam roubar sendo destruída, só tiveram a opção de roubar uma sucata. A sucata que a gente mais ama no mundo, a Millenniun Falcon!


A trancos e barrancos, nossos queridos protagonistas conseguem escapar, mesmo com a nave cheia de defeitos e muitas coisas precisando ser consertadas nela. Só para depois serem capturados. E agora? Sem desesperos, porque a captura nem foi tão ruim assim. Eles foram pegos pelas lendas Han Solo (Harrison Ford) e Chewbacca (Peter Mayhew). E é nesse momento que somos agraciados com a felicidade de ver Han e Chewie de volta a Millenniun Falcon. Nós achamos que esse é um dos momentos mais épicos do filme e surtaram muito quando viram eles entrando na nave.

Mas como sempre Han e Chewie estavam metidos em encrenca. E Han disse que ia resolver. Não resolveu, mas no fim das contas conseguiu se safar dessa sem prejudicar Rey e Finn que precisavam levar BB8 para a Resistência. Todos na Millenniun Falcon, pois a nave que Han tinha antes foi meio que digamos… Destruída, partem para onde talvez seja seguro levar BB8, na opinião do Han (que na verdade esta fugindo da esposa. Ahn? Já explicamos.). Han mal sabendo resolver os problemas da nave e sendo surpreendido sempre que brilhantemente Rey resolve algum problema fica entre admirado e incomodado (afinal, ela sabe mais da nave dele do que ele mesmo), mas digamos que é mais admirado pois da pra ver que ele gosta da garota. Enquanto isso Finn atrapalhadamente tenta cuidar de Chewie que esta ferido e temos mais uma cena cômica envolvendo os dois.


Os protagonistas chegam a um planeta muito parecido com Yavin IV (mas não sabíamos o nome do planeta até o fechamento desse post) onde Han vai atrás de uma velha conhecida - que suspeitamos ser Maz Kanata (Lupita Nyong'o) - para pedir ajuda. E conseguem mais do que esperavam nesse lugar. O passado de Rey é brevemente revelado e sem grandes detalhes em alguns flashes de memória, e aparentemente está destinada ao antigo sabre de luz de Luke e Anakin. Maz Kanata incentiva Han a ir atrás de Leia (Carrie Fisher), mas segundo Han, ela não o quer ver (e é aqui que nossos corações shippers se despedaçam). E Finn (bundão) resolve se mandar pra fugir da Primeira Ordem, não se preocupem a Força dá uma ajudinha e ele volta.

Mas felicidade de pobre dura pouco né? Não podiam ter muita calma e Kylo Ren fez questão de se certificar de que eles não iam deixar de se divertir. Em meio a mais uma batalha eletrizante, com direito a primeira aparição da Resistência, Kylo Ren acaba sequestrando Rey. E é então que finalmente temos um encontro entre Leia e Han, com direito a interrupção do C-3PO (Anthony Daniels), porque se não interrompesse não seria o C-3PO. Aparentemente Leia não tem nenhum ressentimento com Han, o que apenas deixa um mistério a mais sobre o real motivo e circunstâncias que fizeram com que eles se separassem.


Com a Primeira Ordem prestes a destruir mais uma galáxia com a base Starkiller e sua poderosíssima arma (Death Star feelings) e o sequestro de Rey, a Resistência pretende se infiltrar na base da Primeira Ordem - que se trata de, nada mais, nada menos que um planeta artificial -, seguido de um ataque feito por seus pilotos em suas naves de combate (E nós comemoramos ao ver pilotos mulheres em ação e liderando). Han, Chewie e Finn entram na Starkiller usando os conhecimentos de Finn que já foi um Stormtrooper e acabam por render Capitã Phasma, o que nos leva a mais uma cena engraçada com Finn (se a vida na Resistência não der certo, ele pode ser comediante) e uma referência bacana a algo que vamos deixar vocês descobrirem. 

Após encontrarem Rey, Han e Chewie vão colocar algumas bombas em lugares estratégicos. No meio disso são surpreendidos por Kylo Ren, que chega bancando o bonzão e arranca nosso coração com aquele sabre legal. Ninguém nunca vai se recuperar desta cena, isso a gente pode garantir. 

Bastante revoltados e com o coração tão destroçado como o de quem assistiu esta cena, Finn e Rey fogem pela floresta, para apenas encontrar com Kylo Ren (que só pode ser muito ninja pra ter conseguido chegar lá tão rápido assim na neve, ou seja, Family Stark feelings). Sem pestanejar, Kylo ataca Rey, a deixando desacordada. Finn, que portava o sabre de luz, que ficava sob os cuidados de Maz Kanata, não pensa duas vezes e o usa para atacar Kylo que machucou sua querida amiga. Claro que Finn leva uma senhora surra, mas a atitude foi nobre.



E quando menos se espera, a antes desacordada Rey, consegue pegar o sabre de luz e dar uma lição em Kylo Ren. Adoramos ver a Rey chutando o traseiro do Kylo e botando pra quebrar. Não achamos que Finn merecesse levar a surra que levou, mas foi maravilhoso ver uma mulher mostrando do que é capaz e defendendo a si mesma e ao amigo.

Após essa maravilhosa batalha, eles são resgatados e escapam antes que todo o planeta se exploda. De volta a Resistência vemos que R2D2 está completamente recarregado e revela uma peça importante sobre o paradeiro ‘mestre Luke’. Com tudo pronto, a ‘equipe de resgate’ parte para onde, supostamente, Luke está. 

Sem querer estragar a surpresa (mas já estragando), o Sr. Skywalker só aparece mesmo na última cena (mas não deixa de ser uma cena perfeita). A Pam achou Luke com um aura mais poderosa e enxergou um amadurecimento enorme no personagem, mas a Bia ainda não gosta muito dele… Quem sabe nos próximos, né?



Nós achamos que o filme ficou bem dentro das expectativas, levando em conta que todos os fãs estavam bastante receosos sobre o filme, que é o primeiro desde que a Disney comprou os direitos sobre a franquia. Muitas “referências” podem ser encaradas como reciclagem, a verdade é que J. J. Abrams pesou um pouquinho a mão mesmo, mas nada que leve a dizer ‘Caramba, vim assistir um filme novo e estou assistindo um remake’, como uns estão dizendo por aí. Queremos falar também que conseguiram nos enganar muito bem com o trailer, especulamos e especulamos e no fim o trailer não mostrou nada do filme e tudo que achamos que ia acontecer não era o que ia acontecer.

Os atores deram um samba de atuação, tanto os antigos quanto os novos e mostraram o quanto estão empenhados dando tudo de si para que o filme sair de forma que faça os fãs felizes.

As imagens do filme estão maravilhosas e os cenários são incríveis. E temos que agradecer de todo o coração por Michael Giacchino ter se recusado a fazer a trilha sonora e deixado ela com o John Williams, não seria a mesma coisa sem os clássicos da trilha original.

Outra coisa que nós achamos importante ressaltar é que, para aqueles que criticaram a prequel (I, II e III) devido ao abuso do C.G.I., desta vez, os efeitos estão mais em harmonia com a ‘realidade’.


Nós gostaríamos de deixar bem claro que a personagem de Daisy Ridley é um enorme avanço para a imagem das mulheres, graças ao poder e confiança investidos nela, e Rey não se torna menos feminina, pelo contrário, ela é exatamente a figura do que toda mulher deveria ser e nós aqui do Cantinho Cult achamos totalmente sem noção toda essa revolta acerca das habilidades da Rey. Ela é ótima sim e é a personagem preferida de boa parte das mulheres dessa nova geração (melhor não invocar a ira da nossa lady Sith Bia discordando dessa afirmação).


Esperamos que tenham gostado, e que a força esteja com vocês, porque depois de ver esse filme vão precisar! May the Force be With you!That’s all, Folks!

Nota:
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. Acredita que nunca me chamoou atenção esses tipos de filmes? kkk
    Só sei que foi muito esperado e acredito que seja bom, mas não sou chegada kk

    Beijinhos :*
    http://www.eraoutravez.com
    http://www.gleep.com.br/

    ResponderExcluir