14 fevereiro 2016

[Entrevista] Alan Borges responde sobre Meu Amiguinho do Espaço

Hello Cults!

Como prometido aqui está uma entrevista com o autor Alan Borges sobre o livro Meu Amiguinho do Espaço. Eu tive várias curiosidades quanto a esse livro e Alan respondeu todas as minhas perguntas, e vocês vão poder conferir isso aqui! Se ainda não leu a resenha do livro, você pode lê-la clicando aqui. E não se esqueça de participar da Promoção de Outra Galáxia que vai sortear um exemplar do livro para vocês e um Kit de Marcadores!

1- Apesar de serem duas estórias diferentes, Meu Amiguinho do Espaço me lembrou muito O Pequeno Príncipe, por serem duas obras infantis com grandes lições a passar e que os adultos acabam amando. Teve alguma inspiração com o livro O Pequeno Príncipe?  

Bem, de uma certa forma, acredito que houve um ligeiro percentual de inspiração sim, até porque Antoine é o meu escritor favorito.

2- De onde surgiu a inspiração para escrever Meu Amiguinho do Espaço?  

Na verdade, eu estava com a ideia de escrever: “Meu amiguinho do espaço” quando ainda estava escrevendo “Minha prima chata” (um de meus romances) e eu me recordo que eu queria escrever um livro do gênero de “Literatura juvenil”, de fato, um livro para crianças, mas que também os adultos pudessem o ler. Desde que eu comecei a escrever livros (cerca de pouco mais de um ano) que eu sempre quis escrever sobre coisas que eu gosto, e espaço, óvnis, por exemplo, é um dos assuntos que eu aprecio. Então eu desejava de uma certa maneira, colocar um óvni em minha estória, e como o livro é para crianças (e também para crianças que hoje são adultas) eu decidi colocar também algumas reflexões durante a estória. Queria enriquecer um pouco a obra colocando além da estória em si, algumas reflexões que são tão simples, tão fáceis de serem assimiladas e postas em prática, mas que no entanto, ainda há alguns humanos que hesitam em fazê-lo.

3- Algum dos personagens são inspirados em pessoas reais? Se sim, quais?
Bem, se tratando de: “Meu amiguinho do espaço” sim, porque a obra inteira é inspirada na raça humana e toda a sua natureza..

4- Por que utilizar a figura tão misteriosa de um ser vindo de outra galáxia?
Na verdade a ideia de colocar um óvni na história já estava prontamente em meus pensamentos quando eu ainda estava terminando um livro de romance. Eu já desejava escrever uma estória sobre óvnis, mas não uma história como aquelas de ficção, queria algo diferente. Então eu uni a ideia do óvni com a ideia do livro de literatura juvenil.

5- Imaginou mais sobre o planeta do nosso amigo do espaço além do que é contado no livro? Se sim, poderia nos contar algo?
Bom, o planeta de nosso amigo de outra galáxia se aproxima da perfeição, diferente daqui da Terra. Lá não há desigualdade social, não há inveja, não há maldade, tampouco guerras. Lá predomina a meritocracia (diferente de alguns pontos da Terra, principalmente de nosso País). O seu governo é justo. Lá eles vivem em constante harmonia e ajudam uns aos outros. Lá os seres não dão tanta importância para os tesouros... Lá os seres não matam, não roubam, enfim... eu poderia continuar a falar uma diversificação infinita de como o planeta de nosso amigo é. Mas deixaremos o resto para a imaginação dos leitores. 

6- Algum motivo especial para o amigo do espaço parecer uma criança, mas agir como se fosse muito mais velho que o menino?
Na verdade ele é um adulto, mas por seu tamanho pequeno, o ingênuo menino acha que ele é supostamente uma criança como ele.

7- Por que o nome de nenhum dos personagens é citado no livro?
Bem, isso foi intencional. Eu não queria atribuir nomes (acredito que nomes a uma estória como essa não seria bom) queria deixá-los assim, deste modo. Assim também, cada leitor terá o direito de dar ao seu personagem o nome que desejar.

8- Quais as lições mais valiosas do livro em sua opinião?
Bom, eu sou meio suspeito para falar a respeito (risos). Pois gosto de muitas delas. Mas acho que uma das que eu mais aprecio está no capítulo 13. Quando o óvni ensina ao menino a mandar a tristeza para longe com apenas um sorriso.

9- Você leva essas lições pra sua vida e as segue a risca?
Bem, eu não sei se de fato eu sigo a risca, mas eu me esforço o tanto quanto posso.

10- Em sua opinião, qual o objetivo principal deste livro? Que mensagem você quis passar às pessoas ao escrever Meu Amiguinho do Espaço?  
(risos) Olha, é meio complicado falar a respeito, porque sou muito inexperiente ainda como escritor, mas acredito que se ele fizer parte da vida de alguém, o objetivo terá sido alcançado. A mensagem é bastante simples... É possível se viver com dignidade e sabedoria. Nem sempre a riqueza está nos tesouros que as pessoas tanto buscam. É possível ser melhor do que achamos que somos.

Esta foi a entrevista, espero que vocês tenham gostado e que as informações aqui contidas tenham acrescentado algo mais nas informações que vocês já possuem sobre o livro e o autor.

Beijinhos e até a próxima!
Comentários
9 Comentários

9 comentários:

  1. Olá!
    Parabéns pela ótima entrevista. Não conhecia o livro e confesso que fiquei intrigada pelo fato de o autor ter optado por não nomear os personagens. É algo bem incomum e com certeza inédito para mim. Imagino que deve ter sido muito difícil escrever um livro sem citar os personagens, tomando o cuidado de não deixar a narrativa confusa. Achei bastante curioso e original. E o mais legal de tudo é que é um livro voltado para todas as idades e cheio de lições a nos mostrar.
    Parabéns mais uma vez *-*
    Abraços!
    http://blogladoescuro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá Pamella!
    Eu não conhecia o livro, fiquei triste, porque ele me parece ser fantástico. Eu AMO entrevistas com autores, porque a gente sempre entende um pouco como funciona o processo criativo deles e isso é muito legal. A sua entrevista está excelente! Adorei conhecer o livro e saber mais sobre o autor. Espero poder ler em breve. parabéns e sucesso para ambos! :D

    ResponderExcluir
  3. Oi, adoro conhecer autores novos e através dessa entrevista, conheci mais um. Achei bem bizarro essa coisa de não nomear os personagens e acho que eu me perderia na leitura, mas ainda assim, fiquei bem curiosa. Quero conhecer e apreciar o livro também!
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?

    Adoro entrevistas! Eu não conhecia o autor e nem a obra, mas através das suas perguntas, deu para ter uma boa noção. Achei diferente essa questão de não nomear personagens, isso me deixou bastante intrigada. Anotei a dica, eprero ter a oportunidade de conferir a obra.

    Beijos,
    Dai | Blog Cheiro de Livro Nacional

    ResponderExcluir
  5. Olha já vi algumas pessoas comentando sobre esse livro e sinceramente tenho que confessar que gostaria muito de conhecer esse Amiguinho no Espaço. Mas tipo, agora lendo sua entrevista eu gostei bastante de tudo que o autor falou sobre ele e também sobre seu trabalho. Espero que ele seja mais um nacional de muito sucesso e que conquiste muitos leitores =]

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2016/02/luz-camera-e-acao-14_14.html

    ResponderExcluir
  6. Bem interessante! Vou cogitar comprar para meus afilhados. Estou tentando cultivar o hábito da leitura neles.
    Acho curioso alguns autores acabarem projetando em suas obras algo que os incomoda no mundo real (o planeta do amiguinho ser tão perfeito e inalcançável assim, por exemplo), enquanto outros optam por fazê-lo pior do que já é (no caso de distopias). Muito simpático o autor. :)

    Infinitos Livros

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Eu não conhecia o autor e muito menos suas obras. Gostei bastante da estória do livro, e acredito que meu irmão adoraria ouvir.
    Acho muito interessante ler sobre entrevistas com autor, assim podemos conhecê-los um pouco melhor.
    O pequeno príncipe é incrível! Entendo perfeitamente a inspiração do autor.

    Beijos,
    http://entreoculoselivros.blogspot.com.br/2016/02/resenha-95-o-guardiao.html

    ResponderExcluir
  8. Olá, Pamella!
    Bem bacana a entrevista! O livro parece bem legal e nos traz uma mensagem inspiradora para a vida, não apenas das crianças mas também para o adulto que lê/conta a história.
    Um abraço!

    Karla Samira
    http://www.pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Vamos lá. Adorei a entrevista, perguntas rápidaa e inteligentes. Infelizmente não possuo o dom de ser uma entrevistadora. Quem sabe um dia eu não aprenda e faça um post tão interessante quanto esse. Gosto muito de histórias infantis, afinal tenho dois filhos autistas e gosto muito de ler pra eles. Sinto que eles se envolvem e tenho uma resposta bastante positiva. Acho que vou comprar esse livro para aprender a mandar a tristeza para longr com apenas um sorriso. Estou precisando disso ultimamente! Um abraço.

    ResponderExcluir