11 março 2016

Resenha: Half Bad - Sally Green

 
Título: Half Bad 
Autora: Sally Green 
Editora: Intrínseca 
Número de Páginas: 304
Sinopse:

Nathan, filho de uma bruxa da Luz com o mais poderoso e cruel bruxo das Sombras. O adolescente vive com a avó e os meios-irmãos e é visto como uma aberração por seus pares. O Conselho dos Bruxos da Luz vê nele uma ameaça, que precisa ser domada ou exterminada. Prestes a completar dezessete anos – época em que todos os bruxos passam por uma cerimônia em que seu dom é finalmente revelado bem, como sua denominação como bruxo da Luz ou das Sombras –, agora Nathan terá que correr contra o tempo para achar o pai, que jamais teve oportunidade de conhecer, e salvar a própria pele.
Crítica:

Em Half Bad somos apresentados a Nathan Byrn, filho de uma bruxa da luz e de um bruxo das sombras. Desde o começo o livro nos conta como foi a vida com seus meio irmãos e a avó materna que os criou, pois a mãe acabou cometendo suicídio. O livro começa com Nathan ainda criança e vamos acompanhando o seu crescimento aos poucos, descobrimos que apesar da Avó e os irmãos Arran e Deborah gostarem muito do garoto, a mais velha Jessica o odeia.

Somos introduzidos também ao Conselho de Bruxos da luz que o inspeciona em todo seu aniversário por ser um meio código (mestiço). E sempre lhe fazem perguntas sobre seu pai, Marcus, que é o mais poderoso e temido bruxo das sombras. Inicialmente tudo o que Nathan quer é provar que é um bruxo da luz e conseguir receber seus três presentes e o sangue de seu ancestral (avós ou pais) aos 17 anos e se tornar um bruxo de verdade e descobrir seu dom. Mas com o tempo isso vai mudando... A cada notificação do conselho, Nathan vai ficando mais sem liberdade e isso vai causando uma revolta grande no garoto. Até que chega ao ponto de dizerem que para fazer a cerimônia onde ganha os três presentes, o conselho teria que autorizar.

No decorrer da estória conhecemos vários personagens, em sua grande maioria bruxos da luz. E começamos a nos questionar junto com Nathan se aquilo é ser mesmo da luz, porque sinceramente não parece.

Nathan tem mais contato com sua família, porém ele também conhece Annalise O'Bryen. Ela é uma garota de uma família pura de bruxos da luz (da pior espécie se quer saber), mas se simpatiza com Nathan e acabam se tornando amigos. Nathan fica apaixonadinho por ela e a recíproca parece ser verdadeira. Mas os caminhos que Nathan vai ter que seguir o levarão para bem longe de sua família e de sua amada Annalise.

Prestes a completar 15 anos, Nathan não quer passar por mais nenhuma inspeção do conselho. E resolve que vai fugir, mas antes disso uma velha bruxa chamada Mary o convida a sua casa e o conta sobre muitas coisas, inclusive quem ele precisa procurar para conseguir seus três presentes e o dom aos 17 anos. E é em torno disso que a estória vai girar, da busca de Nathan por conseguir se tornar um bruxo e do anseio dele em conhecer o pai. Eu contaria mais sobre a estória, mas eu acabaria tendo surtos fangirlisticos aqui e contando toda a estória. Entendam eu já contei metade do livro aqui praticamente.

Bom... O que falar sobre esse livro? Neste momento ainda estou sofrendo com o fim dele e pensando em como vou sobreviver até conseguir ter o próximo.

Honestamente, Nathan foi me conquistando desde o início e de uma forma que eu só queria pegar o pequeno Nathan, colocar no colo e dizer que vai tudo ficar bem e que eu vou protege-lo dos bruxos da luz malvados. Nathan é um personagem que sofre muito, não espere ele se dando bem o tempo todo, pois quando você acha que ele já se deu mal o suficiente, Sally Green te prova que não... as coisas ainda podem piorar.

Logo no início do livro eu já fui pegando algumas coisas e percebendo que existem muitas criticas sociais no livro, posso até estar errada.... Mas quando Nathan é descrito e a irmã Jessica diz que ele era um bebê horrível, eu apenas pensei... "Esse povo ta de racismo", porque eu só consegui imaginar o Nathan como a coisa mais linda do mundo. Acho que existem várias formas de imaginar a descrição dele, eu imaginei ele meio índio, mas acho que outras pessoas podem imagina-lo latino ou de outras formas. Além de tudo isso, com essa coisa de bruxos da luz e bruxos das sombras, vi muito preconceito tanto racial ( já que estamos falando de duas 'espécies' diferentes de bruxos) quanto social (já que os bruxos da luz se acham MUITO superiores). Achei muito legal enxergar todas essas críticas, e sei que tem muito mais por vir.

A escrita de Sally Green é fluída e muito envolvente. Ela conseguiu me fazer amar personagens em segundos (Gabriel) e odiar outros com grande intensidade (bruxos da luz). O livro é em primeira pessoa, narrado por Nathan e é bem interessante para poder entender todos os sentimentos do personagem.

Vamos falar sobre a capa? Vamos! Que capa maravilhosa é essa?!?! Estou apaixonada com a capa, a arte é linda e esta presente na frente e no verso, porém com o diferencial de que um lado é preto e o outro branco. Posso estar errada, mas imagino que isso seja uma analogia as duas metades de Nathan. Outro detalhe maravilhoso da capa é que ela é estilo emborrachada e acho isso tão bom! Sou dessas que ama sentir a capa, então adoro isso. Outro ponto que amei é o titulo em alto relevo

Encontrei alguns errinhos no livro, acho que uns três, mas me pareceram mais com erros de digitação e não atrapalharam em nada a leitura. A qualidade do livro é excelente, tudo feito do melhor material, a fonte esta em um bom tamanho para leitura e a folha é amarelada. E para encerrar só quero dizer que Half Bad e Sally Green ganharam o meu coração.
[...] Você não é mau, Nathan. Nada em você é mau. Vai ter um dom poderoso, todos podemos ver isso, mas é como vai usa-lo que vai mostrar se você é mau ou bom. - Pág. 93
- Já fiquei preso em uma jaula por quase dois anos. Apanhei, fui torturado e afastado da minha família, minha família de bruxos da Luz. Pode me dizer que parte disso tudo é para o "bem"? - Pág. 163
Nota: 

Comentários
15 Comentários

15 comentários:

  1. Cara, eu adoro a capa e o título desse livro, super me chamam atenção mesmo (e uma atenção positiva), mas admito que eu imaginava que a estória fosse completamente diferente. Mas que bom, pois se fosse da forma que eu imaginava antes provavelmente não leria nunca, e agora já cogito essa opção hahaha
    Curto muito magias e essas paradas fantasiosas! rs

    Mago e Vidro
    | Sorteio DamnedGirls | NOVE livros pra você!

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto bastante de ler livros que envolvam bruxas e acho que por isso teria interesse em ler essa obra. Já li vários comentários sobre a narrativa, mas nunca tive a oportunidade de conferir. Ah, eu também acho essa capa maravilhosa. Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  3. Olá linda,

    FINALMENTE!
    Alguém nesse mundo literário falou bem desse livro...porque eu estava já desistindo de ler essa série e com sua resenha minha vontade já existente só foi confirmada e aumentada haha e adoro autores que fazem seus personagens sofrer hehe.

    Beijinhos,
    poesiaqueencantavida.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Pamella

    eu estou querendo ler esse livro há muito tempo. Mas acontece tanta coisa que eu sempre me esqueço de colocá-lo no carrinho. Eu adoro livros com bruxos, sobrenatural e tal, então desde que vi a premissa desse, fiquei com muita vontade. Adorei ler sua resenha, porque você falou coisas que eu precisava ler para conseguir comprar de vez. HHAHAHHA e meu deus, se o fim do livro te causou isso, ele deve ser devastador de bom mesmo. Quero pra já <3

    ResponderExcluir
  5. Oie,
    OLha logo que esse livro saiu eu fiquei louca para lê-lo, depois confesso que a minha empolgação foi cedendo e hoje em dia eu leria, mas já não o desejo tanto. Porém a sua resenha tão empolgante assoprou a brasinha em mim e despertou a minha curiosidade de fazer essa leitura novamente, espero ter a oportunidade.
    beijos

    ResponderExcluir
  6. Oiee ^^
    Como não sou muito fã de histórias com bruxas e coisas do tipo, sempre torci o nariz para o livro, mas de uns tempos para cá tenho estado curiosa para lê-lo, principalmente porque o pessoal anda falando muito bem dele. Gente, saber que você gostou tanto e que mal vê a hora de ter a continuação em mãos me deixou ainda mais animada para ler, afinal, não é todo livro que consegue fazer isso com a gente, né? haha' a capa é mesmo linda, e eu estou doida para conhecer esse Nathan, e já estou com dó dele kkk'
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá Pamella,
    Tenho Half Bad na estante há um bom tempo, mas não li até hoje. Por incrível que pareça, sua resenha é a primeira que leio dele e fiquei bem animada com a trama, achei bastante envolvente e fiquei bem curiosa para ler, pois o final deve ser....
    Enfim, obrigada por me presentear com essa resenha.
    Espero ler e curtir.
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Esse é aquele livro que pela capa você pensa que vai ser uma coisa completamente diferente. Leito pouca coisa sobre bruxo, tão pouco que é quase nada. A trama parece envolvente e gostei dos trechos que você separou. Quero dá uma chance ao livro e a autora, que ainda não conheço.

    Bjs,
    Garotas de Papel

    ResponderExcluir
  9. OI Pam =D
    Olha, quando vi a capa e o título eu não me interessei, quando comecei a ler a resenha eu fui me distanciando da história e não estava curtindo. Mas isso foi só lá no comecinho, depois eu fui me envolvendo e fiquei muito curiosa para poder ler. O que eu mais gostei foi do Nathan ... meu filho se chama Nathan kkk mas não é só por isso não. Gostei da maneira como você o descreveu, como falou dele.

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    Muito bom quando a autora ou autor consegue fazer que o leitor se aproxime tanto dos personagens, amando ou odiando.
    Isso mostra que conseguiu passar o que queria e conquistar o leitor.
    Logo de cara não compraria o livro, não achei a capa atrativa. Mas lendo sua resenha, percebendo como você gostou da história e eu já fiquei imaginando na minha ressaca rsrs
    Obrigada pela dica
    beijos
    Conchego das Letras

    ResponderExcluir
  11. Olá
    Eu sou muito fã de livros Bruxos e coisa e tal, não, eu não li Harry. Acho o enredo desse série bem legal. E a forma como o autor abordou me deixou bem interesado na leitura. O ponto que me deixou mais curioso foi o fato de Nathan se perguntar se são mesmo bruxos de luz o que ele vê.
    Bjks

    ResponderExcluir
  12. Olá... eu também acho a capa deste livro um escândalo de tão linda... perfeita... esse vermelho arrasa... eu tenho uma imensa curiosidade de ler esse livro... porque a premissa é boa e o desenvolvimentos dos personagens me parece ser bons também... gostei de saber a sua opinião e através dela minha vontade só aumentou... xero!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Li esse livro ano passado, mas diferente de você eu não gostei muito não :/
    A narrativa em si é interessante, porém não consegui me envolver com nenhum personagem. Fora que a autora enrolou bastante para no final deixar o leitor sem explicação suficiente :( Sinceramente foi uma decepção para mim, mas fico feliz que tenha gostado! Espero que curta os outros da trilogia. A capa é mesmo maravilhosa!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Já vi várias pessoas falando sobre esse livro, mas ainda não despertou meu interesse. Mas como você, achei a capa fantástica, é linda demais mesmo. Mas fico feliz demais por você ter se apaixonado pela história, é tão bom quando isso acontece.

    ;D
    Profissão: Leitora

    ResponderExcluir
  15. Olá

    A capa é muito bonita mesmo e acredito que condizente com o livro,conheço o livro de ver nos blog,igs,mas nunca li, apesar de achar a premissa interessante, o que achei legal são as criticas sociais apresentadas no livro, sempre que vejo livros que contém isso,acho bacana, vejo como um ponto positivo e aliado ao fato de o livro ser uma fantasia só fez aumenta minha curiosidade em relação ao livro.

    Bjss

    ResponderExcluir