19 julho 2016

Resenha: Minha Prima Chata - Alan Borges

Título: Minha prima chata
Autor: Alan Borges
Editora: Chiado Editora
Número de Páginas: 190
Ano de Lançamento: 2015
Livro cedido em parceria com o autor.

Sinopse:
Marcelo é um garotinho adorável de nove anos que possuí uma família magnifica cujos pais são os melhores de todo o mundo - segundo ele mesmo diz. Viciado em vídeo game como qualquer outro garoto de sua idade, não abdica de suas brincadeiras mais simples.
Ele tem uma vida incrível, o único problema é quando sua prima Cristina vem passar uma semana inteira em sua casa. Marcelo e Cristina possuem muitas diferenças em todos os aspectos possíveis, e estas diferenças ao mesmo tempo os levam a constantes discussões. Só que nesta visita de Cristina à sua casa, acontecerá algo surpreendente que Marcelo nunca havia imaginado que poderia passar...

Crítica:

Em Minha Prima Chata temos uma estória narrada pelo menino Marcelo de 9 anos. Ele é um bom menino e cheio de boas intenções, mas as vezes apronta como toda criança. Quando terminou de sair de um sufoco, descobre que sua tia Daniela e sua prima Cristina estão indo passar uma semana em sua casa em Salvador. Estaria tudo bem, se Cristina não fosse MUITO chata. Cristina e Marcelo passam essa semana brigando e se provocando. Será que vão conseguir se suportar até o fim desta semana?

São poucos os personagens do livro, mas a personalidade deles fica bem clara. Marcelo como já dito é um bom menino, ele é caridoso e pensa sempre em seus amigos, é também desprendido e não vê problema nenhum em doar algo seu. Cristina não é apenas chata, ela é insuportável! Ela é muito mimada, implicante, preconceituosa, convencida, folgada... Em raros momentos se pode ver um lado meigo dela. Os pais de Marcelo são muito amorosos, pacientes e fazem todas as vontades do filho, entretanto lhe chamam a atenção quando necessário. Tia Daniela é bem diferente da filha, ela é doce, gentil e carinhosa, porém em alguns momentos pode-se ver que ela é tão preconceituosa quanto a filha e é conivente com alguns de seus comportamentos. Bobinho e Têteco são os melhores amigos de Marcelo, ambos são crianças de família mais humilde, porém são sempre gentis e amigos fieis.

O livro tem uma linguagem fácil de se compreender, entretanto eu acabei demorando para ler muito mais do que eu demoraria para um livro deste porte. Não sei explicar o porquê, mas este livro não conseguiu me prender. Assim como Meu Amiguinho do Espaço (outro livro do autor), trás algumas lições que crianças podem aprender. Entretanto... mostra Marcelo falsificando a assinatura da mãe e ninguém descobre e ele não é punido por isso. E acho que isso pode dar uma ideia errada para as crianças.

O autor informou que os erros de português contidos no livro, era porque ele tentou ser fiel a como uma criança de 9 anos escreveria, pois elas não escrevem 100% correto. Porém, achei um pouco contraditório uma criança de 9 anos que escreve errado, escrever usando palavras como: lúgubre, melancólico, acabrunhado... e ainda saber como escrever: pode-se, fez-se e qualquer outro derivado com -se e -me. Acho que talvez para trazer realidade em uma obra feita de tal maneira, o autor deva pensar um pouco mais ao usar palavras difíceis que não fazem parte do vocabulário de uma criança de 9 anos. Por outro lado, até o meio do livro o menino se referia a sua escola como escolinha e pra mim escolinha é só até o jardim de infância, entrou pro ensino fundamental já se chama escola. Uma coisa que me incomodou bastante é que tinham falas grudadas uma na outra e o travessão era usado até quando não era preciso o uso dele.

A diagramação do livro é bem simples, mas isso é uma coisa boa para leitura. A capa é simples também, mas dá pra identificar Cristina em sua representação. O material do livro é muito bom, como sempre a Chiado não deixa nada a desejar.

Nota:


- Não vai tentar descobrir? - Perguntou Mamãe - Com sua face coberta pelo sorriso mais encantador e maravilhoso do Mundo - Se você acertar, eu te compro amanhã aquele sorvete de chocolate que você tanto gosta. - Pág. 41
Lembro-me claramente que eu não queria brincar de bola na garagem de papai neste dia, mas fui ligeiramente vencido pela persistência de Têteco. - Pág. 124
De algum modo, papai notou que havia algo de estranho comigo, eu nunca o recusei uma partida de futebol de jogo de botão, era uma atitude muito estranha de minha parte, ainda mais agora que ele não conseguia mais me vencer e não tinha mais a oportunidade de me provocar, deixando minhas bochechas infladas e roseadas. - Pág. 176
Comentários
16 Comentários

16 comentários:

  1. Olá
    Confesso que a premissa não chamou a minha atenção e acredito que seja mais voltado para o público infantil ou até quem sabe juvenil. E sobre a narração, concordo com você, o autor precisa se ater a cada detalhe,desde palavras difíceis e não somente erros de português se ele quis retratar o universo das crianças com fidelidade.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Oi linda, tudo bem?
    A capa desse livro me chamou a atenção, mais o contexto da história em si acaba não me agradando totalmente pois me parece ser mais infantil e não acho que esse seria o momento certo de ler esse livro. Mais não descarto a possibilidade de ler um dia! Beijinhos.
    http://followyourdreamalways.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Fiquei curiosa com a voz narrativa do livro porque amo livros com a perspectiva infantil, mas acho que questionaria os erros também e as palavras mais complexas que ele usou. Não me despertou muita vontade de ler, mas anotei a dica para quem sabe, conferir no futuro.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá Pamella,

    Confesso que quando li a sinopse pensei que se tratava de uma obra new adult, mas ao ler sua resenha e perceber que o narrador é uma criança fiquei um pouco intrigada e pensando que poderia até ser divertida essa leitura. Após ler suas considerações, não me interessei de verdade pela obra. Concordo plenamente que usar palavras mais simples e sem erros de português seria o mais adequado, do que usar um vocabulário rebuscado e com erros intencionais na gramática. Acho que faltou uma melhor pesquisa do autor, ao comportamento infantil, a fala e a convivência.

    Abraços
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  5. Nossa, que livro é esse? Ei não o leris para meu filhos. Ainda mais o Cauã que está em processo de alfabetização e acho que uma escrita errada só confundiria a cabeça dele. Achei bem esquisita a justificativa do autor para os erros de português sendo que uma das melhores coisas de se ler é justamente aprender a escrever melhor.
    Enfim vou deixar a dica passar.
    Bj

    ResponderExcluir
  6. Hey!
    Confesso que fiquei um pouco confusa do que pensar sobre esse livro. Por vezes, durante a leitura da sua resenha, achei super interessante, e outras, fiz várias caretas para o computador. Eu sinceramente não gostei nada da capa, e que coisa é essa de erros de português serem propositais? Se fosse assim, o mínimo que ele devia fazer era se parecer mais com uma criança de nove anos na narração. Achei bem pobre e com certeza não é um livro que eu leria, e também nem sei se realmente vale três estrelas. Outra coisa que você citou que fiquei muito "quê?" foi que a criança falsificou a assinatura e não foi punida, está praticamente ensinando isso as crianças. Não devia ser indicado para um público infantil.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Então, desta vez a premissa do livro que você trouxe para nos apresentar não chamou muito minha atenção.
    Achei alguns pontos existentes no livro dos quais não concordo muito e não me pareceu uma leitura muito recomendável também para o público infanto-juvenil.
    Deixarei passar, desta vez.

    Beijinhos...
    http://estantedalullys.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi
    Infelizmente não curti muito o livro. Até gosto de livros indicados para um público mais infantil, mas achei a história e as personagens um tanto superficiais.
    Mesmo assim parece que não foi de todo em vão.
    Apesar da sua resenha maravilhosa e sincera. não terei coragem de encarar essa leitura.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  9. Oii Pamella, tudo bem? Eu não conhecia esse livro, e confesso que não leria. Até me interessei por saber que é um menino de 9 anos narrando, mas os erros que você citou me desanimou, pois sei que ficaria encucada com eles também. Sua resenha ficou ótima! Adorei a sinceridade. E sobre a capa desse livro, não gostei nadinha :/
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. OI!
    Confesso que não achei a proposta do livro tão interessante assim, principalmente por ter uma escrita difícil e ao mesmo tempo toda errada, o que pode passar a ideia para a criança que se pdoe escrever errado, afinal se está em um livro né...

    ResponderExcluir
  11. Olá!! :)

    Nao conhecia o livro e confesso que a premissa nao me gradou la muito... :)

    Que pena que não gostaste assim tanto! :( Realmente, achei essa situação dos erros esquisita e contraditoria! Os livros daChiado costumam vir assim com erros... E realmente crianças de seis anos nao tem vocabulario assim tao elaborado! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  12. Oi, tenho que confessar que pelo título achei que poderia ser algo mais "YA", mas ao ler a premissa vi que o livro apesar de ter uma temática legal e uma importante lição de aprendizado (pelo menos eu acho com o fato do menino ser esperto e ter toda a questão de preconceitos por parte de sua prima e tia), essa obra não é para mim. Não vou afirmar que eu não gostaria ou não leria, mas como para você já foi uma leitura um pouco mais demorada que o normal.. eu prefiro não me arriscar! Mas é sempre bom conhecer obras diferentes e com toda a certeza tem gente que deve ter gostado da dica!
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    A história me parece leve e divertida e com uma lição para mostrar. Os filhos pegam o exemplo dos pais, se somos preconceituosos, eles também serão. Então pela sua resenha já deu para ver que a história tem um bom enredo.
    Adorei a sua resenha e com certeza leria o livro.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  14. Oi,

    Infelizmente, uma coisa me fez desistir do livro: quando você disse que ele falsificou a assinatura da mãe em um cheque e não recebeu punição. Não acho legal este tipo de atitude nem em livro. Obrigada pela resenha sincera.

    Beijos,

    Jucimara Pauda
    Livro sem frescura

    ResponderExcluir
  15. Oi Pamella, tudo bem?
    Eu já tinha ouvido falar desse livro mas não sabia do que se tratava exatamente, mas fiquei bem curiosa para ler, por se tratar de uma história narrada por uma criança, até a linguagem me deixou curiosa, o que te incomodou. Acho que eu leria ele sim para ver o que irei achar.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  16. Oie...
    A premissa do livro não me atraiu muito, acredito que pode estar relacionado com a faixa etária indicada... Tenho 22 anos e acho que a leitura seria mais bem vinda para o publico infantil ou infanto juvenil.
    Mas, enfim a leitura deve ser muito leve!
    Beeijos

    ResponderExcluir