07 agosto 2016

Resenha: Filha da Floresta - Juliet Marillier


Título: Filha da Floresta
Autora: Juliet Marillier
Editora: Butterfly Editora
Número de Páginas: 616
Ano de Lançamento: 2012
Livro cedido em parceria com a Butterfly Editora.

Sinopse:
O domínio de Sevenwaters é um lugar remoto, estranho, guardado e preservado por homens silenciosos e criaturas encantadas, além dos sábios druidas, que deslizam pelos bosques vestidos com seus longos mantos...
Passada no crepúsculo celta da velha Irlanda, quando o mito era lei e a magia uma força da natureza, esta é a história de Sorcha, a sétima filha de um sétimo filho, o soturno Lorde Colum, e dos seus seis amados irmãos, vítimas de uma terrível maldição que somente Sorcha é capaz de quebrar. Em sua difícil tarefa, imposta pelos Seres da Floresta, a jovem se vê dividida entre o dever, que significa a quebra do encantamento que aprisiona seus irmãos, e um amor cada vez mais forte, e proibido, pelo guerreiro que lhe prometeu proteção.

Critíca:

Sorcha conhecia apenas uma realidade, aquela em que vivia protegida na floresta de Sevenwaters ao lado de seus seis irmãos mais velhos. Ela e os irmãos Liam, Diarmid, Conor, Comarck, Finbar e Padriac, tinham uma ligação muito forte e eram muito unidos. O pai amargurado depois da morte de sua querida esposa, focou apenas em suas campanhas de guerra e não dava muita atenção para seus filhos, mas uma coisa era certa os amava a sua maneira e fazia questão de seus filhos homens aprenderem a arte da guerra. Sorcha era a quem ele dava menos atenção, mas seus irmãos se encarregaram de cuidar dela e ajudar em sua educação.

Crescendo livre e na floresta, Sorcha aprendeu muito com a floresta e com o seu povo. Conhecia muito sobre ervas curativas e era uma excelente curandeira, isso tudo somente aos 13 anos. Junto com os irmãos Finbar e Conor, aprendeu muitas coisas com o Padre Brien, que vivia no local. Apesar de terem um padre vivendo no meio deles, o povo tinha sua própria fé, acreditavam nos seres da floresta e em sua força. Respeitavam a natureza e a celebravam, nada era retirado da natureza sem pedir a permissão.

Apesar de viverem sem a presença do pai, eram felizes. Até que o pai resolve se casar e tudo muda em Sevenwaters. Uma maldição cai sobre os irmãos de Sorcha, e ela é a única capaz de quebrar o feitiço. Guiada pelos seres da floresta, ela recebe todas as instruções para que possa salvar os irmãos e é então que se inicia uma longa, silenciosa, solitária e dolorosa jornada.

Este livro é simplesmente MA-RA-VI-LHO-SO! Eu me apaixonei logo na primeira página. Com uma escrita incrível, leve e envolvente Juliet Marillier nos prende em Sevenwaters, em uma estória que não se consegue parar de ler. Os personagens são apaixonantes e bem construídos, vários deles te conquistam aos poucos ou de imediato. Meus preferidos foram Sorcha, Finbar, Conor, Padre Brien, Simon, Red, Linn e Margery. Mas também temos personagens que você odeia logo na primeira aparição, como Richard de Northwoods e Lady Oonagh.

Você deve estar se perguntando "Okay Pam, mas e o romance?". Bom, o romance é maravilhoso e encantador. Não é algo que acontece de imediato, afinal começamos a estória com uma Sorcha de 13 anos. O romance também não é algo forçado onde a mocinha não consegue pensar em outra coisa que não seja o amado. Sorcha estava tão compenetrada em salvar os irmãos e em sua ingenuidade não percebeu que começou a se apaixonar e nem que alguém estava apaixonado por ela. É claro que a gente percebe algo bem de leve e acaba torcendo para o casal acontecer. Mas o romance não é o centro do livro. O livro aborda vários temas como amizade, família, ambiente, espiritualismo, violência contra mulher e romance, mas o foco principal é a família através do amor de Sorcha pelos irmãos.

A capa do livro é linda, a garota na capa não se parece nem um pouco com a descrição de Sorcha, mas de qualquer maneira esta representando bem o livro. A revisão está muito boa e adorei a diagramação com desenhos de penas e de símbolos celtas. Filha da Floresta com certeza é um dos meus livros favoritos e entrou para a lista dos queridinhos. Mais do que recomendo o livro, eu intimo vocês a lerem e virem conversar comigo sobre, haha.

Nota:

Algumas coisas quebradas não tem conserto. Outras é possível consertar aos poucos, peça por peça, esperando que fique bom. Exige muita paciência. - Pág. 101
- Por que tenho que ser modificada para parecer um produto à venda? Nem sei se quero me casar! Além disso, tenho diversas habilidades. Sei ler, escrever, toco flauta e harpa. Por que devo me modificar só para agradar a um homem? Se ele não gostar de mim como sou, que procure outra para se casar. - Pág. 129 (Sorcha rainha)
Os guardas me levaram à plataforma em que Richard permanecia à espera.Uma pequena tocha estava acesa sobre um suporte na base da pira. Seu propósito era claro. Meu coração batia tão rápido que não havia necessidade de tambor. O céu escurecia em tom de lavanda. O resto de sol dava às nuvens um tom rosado. - Pág. 503

Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. Oi, Pamella! Essa é a minha leitura atual. Ainda estou nos primeiros capítulos, mas já amando tudo! A Sorcha é tão forte e corajosa, bem diferente das protagonistas comuns.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Olha, esse livro tem um tamanho bem respeitável, e nem eu acreditei que li em uma semana. O estilo da escrita realmente prende a atenção.
    Confesso que achei alguns pedaços bem pesados, mas fora eles me apaixonei pelo livro. Sorcha é uma personagem muito interessante.
    Sabia que foi baseado em um conto de Hans Christian Anderser, The Wild Swans?
    Beijos

    EscrevendoAsas.com

    ResponderExcluir
  3. Meu Deus! Adoro uma fantasia :)
    Com símbolos e tudo mais então rs já chamou a minha atenção. A capa é linda. Vou add à minha lista.
    Beijos,
    http://www.fabulonica.com/

    ResponderExcluir