22 outubro 2016

Resenha: Misterius In Versus - A.T. Correia


Título: Misterius In Versus
Autor: A. T. Correia
Editora: Chiado Editora
Número de Páginas: 230
Ano de Lançamento: 2016
Livro cedido em parceria com Lilian Comunica Assessoria de Imprensa e Editorial.

Sinopse:
Eduardo, um pacato bibliotecário do arquivo público em Portugal, cai numa armadilha montada por membros de uma sociedade secreta e passa a ser alvo de chantagem, que o empele a uma busca por tesouros perdidos e mistérios inimagináveis.
Sua busca o leva a descobrir mensagens encripitadas numa das maiores obras da língua portuguesa: Os Lusíadas, de Camões. Seu caminho passa por templos, locais sagrados e destinos turísticos entre o velho continente e a cidade do Rio de Janeiro.

Crítica: 

Em Misterius In Versus, somos apresentados a Eduardo Cruz, um bibliotecário do arquivo público de Portugal e que ama o seu trabalho, por mais que alguns dias possam ser tediosos. Ao revisar um arquivo da Ordem dos Cavaleiros de Cristo ele encontra um papel com uma charada e números que não parecem fazer o menor sentido. Por impulso ele pega este papel e o leva para casa. O que ele não sabia é que ao fazer isso, ele estaria se metendo em algo muito maior do que poderia imaginar.

Edu se vê preso em uma chantagem e é obrigado a ajudar seu chantagista a desvendar os mistérios que envolvem Camões e sua obra prima Os Lusíadas. Vê também o grande amor de sua vida, Cláudia, em perigo e precisa mais do que nunca resolver tudo isso para tê-la de volta e em segurança. A descoberta de mistérios que podem abalar a fé da humanidade, desvendar uma sociedade secreta e o surgimento de amizade com as pessoas mais inesperadas, essas são coisas que se podem esperar da obra de A.T. Correia.

O livro é de fácil leitura e bem leve, consegui realizar a leitura em menos de dois dias. A escrita é muito inteligente e os versos são destrinchados resolvendo os mistérios da vez. Há um grande embasamento histórico e imagino que tenha demandando bastante estudo e pesquisa do autor para que este livro fosse escrito. Como amante de história, adorei viajar nas páginas deste livro que mistura ficção com realidade. Em sua maioria a estória se passa em Portugal e no Brasil, o que eu admiro muito, pois acho que os autores nacionais devem sim trazer a ficção para o nosso país colocando ele em seus livros. Uma obra com uma pegada de Código da Vinci, mas com a magia e a beleza de Brasil e Portugal.

A capa do livro é muito bonita e já trás aquela ideia de algo histórico para o leitor. O título é totalmente condizente com o livro e percebe-se isso a medida que a leitura evolui. A diagramação está ótima, é bem clean e simples, e a folha amarelada como sempre ajudou na leitura. Uma única coisa me chateou com o livro, ao terminar a leitura resolvi folhear o início deste à procura de informações para a resenha e as 20 primeiras páginas se soltaram. Isso não é usual de acontecer com livros da Chiado Editora, pois eles sempre são de altíssima qualidade, mas infelizmente acabou acontecendo. Tirando este pormenor, se você é um fã de Código da Vinci ou se apenas gosta de um bom mistério, recomendo está leitura instigante e que faz o leitor pensar.

Nota: 

- Então lá vai outro enigma: " Amanhã, por volta do meio-dia, dentro de um templo do conhecimento por você esperarei, tal prédio ao estilo manuelino foi construído na rua com o nome do poeta caolho. Estarei vestido com trajes da cor reservada à realeza e tenho olhos e cabelos como aqueles vieram do norte. - Pág. 28
Começou a chorar, pensou em toda sua vida, em Edu, seus pais, que deviam já estar preocupados com seu sumiço. Foi a maior sensação de solidão e abandono que poderia sentir. Quando já não aguentava mais lacrimejar, pediu a Deus que a olhasse, rezou várias vezes o Pai Nosso, que era a única oração que sabia de cor. - Pág. 123
Cláudia olhava ceticamente para Edu, era difícil de acreditar no que ele estava falando. - Pág. 200
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário