29 novembro 2016

Resenha: Infinita Highway - Alexandre Lucchese


Título: Infinita Highway
Autor: Alexandre Lucchese
Editora: Belas Letras
Número de Paginas:328
Ano de Lançamento: 2016

Sinopse:
Era pra ter durado uma noite só. Era pra ter sido somente uma banda de abertura. Era pra ter outro nome. Não era pra ser um trio. Eram várias variáveis. Graças a essa sucessão de fatos estranhos, quando não ter plano é o melhor plano, nasceu uma das maiores bandas do rock brasileiro: Engenheiros do Hawaii. Uma história cheia de lances improváveis que o jornalista Alexandre Lucchese conta nesta biografia, depois de ter entrevistado mais de uma centena de pessoas ligadas à banda, inclusive Humberto Gessinger, Carlos Maltz e Augusto Licks, o trio responsável pela fase de maior sucesso, que acabou se desfazendo anos mais tarde em meio a brigas e processos judiciais. Embarque na infinita highway para ver como nada do que foi planejado para a viagem deu certo, mas, nesse caso, ter dado tudo errado não poderia ter sido o mais certo.

Crítica:

Em Infinita Highway, Uma Carona com os Engenheiros do Hawaii, escrito por Alexandre Lucchese, temos uma biografia contando a história da banda que conquistou o Brasil desde seu nascimento até o ano de 1995 quando apenas Gessinger sobrou na banda como membro da formação original.

O autor pesquisou em revistas e jornais para escrever o livro. Mas também entrevistou Humberto Gessinger, Carlos Maltz e Augustinho Licks. Colheu depoimentos de amigos, familiares e pessoas que fizeram parte da equipe dos Engenheiros. O livro contou também com 4 relatos de fãs que tiveram várias oportunidades de conviver com a banda e que são grandes fãs até os dias atuais.

Podemos não só vivenciar a trajetória dos Engenheiros através deste livro, como também conhecer mais sobre o universo musical dos anos 80 no Rio Grande do Sul e em todo o Brasil. É possível também ver como a mídia reagia a banda, em sua maioria davam bastante críticas negativas contrariando o estimulo dos milhares de fãs que amavam a música e não deixavam de comprar nenhum álbum.

Eu adorei o livro! Confesso que se já ouvi Engenheiros antes deste livro, deve ter sido sem saber que a música a eles pertenciam. O que vai mudar, pois pretendo conhecer a música deles em breve. A narrativa de Alexandre Lucchese nos envolve e atrai a simpatia para o grupo de músicos. Biografia é coisa chata? De jeito nenhum, Infinita Highway nos prova que não. A escrita é bem dinâmica devido a todos os depoimentos citados acima e a escrita do autor. Contamos também com a discografia comentada até o álbum lançado em 1995 ao final do livro.

A diagramação do livro é muito linda, há um design de engrenagem no começo dos capítulos com o título. Existem pequenas engrenagens também separando as partes dentro dos capítulos e uma diagramação especial para a área com depoimento dos fãs. A capa é maravilhosa, as cores azul e amarelo combinaram perfeitamente e o designe criado usando a orelha do livro foi um surpresa agradável. Recomendo o livro para os fãs e também para aqueles que assim como eu querem conhecer mais a banda.

Nota: 

Mas curtir música não era apenas algo passivo para Gessinger. Aos poucos, o menino estreitava novamente a relação com o violão e começava a escrever algumas canções. - Pág. 55
Apesar de não cogitarem uma mudança para o Rio, os Engenheiros voltaram da gravação Longe Demais das Capitais dando a nítida impressão de que haviam visto uma nova via para exibirem seu trabalho. Não deixaram também de transparecer temor diante do futuro imprevisto que se avizinhava. - Pág. 145
Para o líder da banda, Filmes de Guerra, Canções de Amor foi uma tentativa de levar adiante a formação que já havia se esgotado artisticamente, depois de uma série de álbuns tão inventivos. - Pág. 287 
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário