15 dezembro 2016

Resenha: O Sol Voltou a Brilhar - Célia Xavier de Camargo


Título: O Sol Voltou a Brilhar
Autora: Célia Xavier de Camargo
Editora: Petit Editora
Número de Páginas: 464
Ano de Lançamento: 2013
Livro cedido em parceria com a editora.

Sinopse:
Londres, século 19. Na capital do Império Britânico, durante o reinado da rainha Vitória, um rico e respeitado comerciante vive luxuosamente, cercado de criados. Helen, mimada pelo pai, quer se divertir e vai ao encontro do perigo: um espírito perverso trama sua perdição... Arrastada pela obsessão, Helen entrega-se ao prazer.
George, ao resgatar a filha, conhece o lado sombrio de Londres, onde imperam a miséria e o vício. Helen assume outra personalidade e ataca violentamente o pai. George não acredita em Deus, mas o desespero o conduz a uma sessão espírita. Diante de um fenômeno de materialização, George entenderá que o sol um dia voltará a brilhar no horizonte de sua vida.

Critíca:

Em uma Londres do século 19, somos apresentados à família Baker. George e Jane Baker são de uma família abastada e são muito felizes com sua querida filha Helen. Entretanto, a medida que Helen vai crescendo cheia de mimos e exageros, acaba por abandonar o lar e ficar por longo tempo desaparecida. Até que o aviso de um estranho leva seu pai até o seu encontro e é resgatada em terríveis condições e com a saúde debilitada.

O médico, e amigo da família, James Stanford cuida da jovem e tenta fazer o possível, até que constata que tudo o que a medicina poderia fazer já havia sido feito. E diz que agora somente Deus poderia salva-la. O que não foi do agrado de George que era ateu. O doutor até sugeriu que procurassem saber sobre uma nova ciência que havia surgido e falava sobre outros mundos e vida após a morte. Mas George nada quis saber a respeito. Jane preocupada, desesperada pela recuperação da filha e temente a Deus, vai até uma igreja perto de sua residência onde ora e pede por ajuda. Se lembra então dos dizeres do amigo médico e procura por informações. Querendo saber mais, vai a procura do amigo que a indica conversar com Peter Cushing que era maior entendedor do assunto.

Passou então a se encontrar frequentemente com Peter para tratar do assunto e entender um pouco mais para ajudar a filha. Notou que toda vez que a filha encontrava-se perturbada e gritando impropérios, sempre que Jane e os criados se ajoelhavam e oravam a Deus, a garota calava-se e dormia sono sereno. E desta maneira e lendo os ensinamentos do evangelho com a mãe, Helen passou a se recuperar e ficar cada vez mais saudável. Entretanto o inimigo espiritual que perturbava a casa não deixaria barato, pois seu alvo era George a quem tinha como inimigo em vidas passadas. Sendo assim, o inimigo desencarnado causa muitas desavenças na casa dos Baker de modo a destruir George.

Porém algo acontecerá e George vendo que estava errado, acabou por constatar a existência divina e passou a trabalhar para o bem. George não era uma má pessoa, porém como nada fazia de mal ao próximo também nada fazia de bem. Vendo isso ele passou a se policiar e a reparar nas pessoas, e assim enxergar quando estavam precisando de ajuda e pensando em soluções para ajudar. Além de começar a praticar o bem, nada dizia para gabar-se, praticando assim a caridade verdadeira sem a intenção de receber nada em troca. George realmente transformou-se através da reforma íntima. Agora com a união de George, Jane, Peter, James, Martin (cocheiro de George e que tem grande importância na história) e Violet (mãe de Martin) trabalharam para a resolução do mal que rondava aquela família.

Um livro fascinante! Me prendeu do início ao fim, principalmente devido ao fato de se passar logo no início quando o espiritismo dava os primeiros passos com as obras de Allan Kardec. Então foi muito bom poder ler algo passado na época mostrando a realidade do espiritismo durante o seu nascimento. Gostei do livro tratar sobre a reforma íntima sem parecer algo forçado e ser algo bem inspirador.

A história é muito bem construída e tudo se encaixa sem deixar buracos ou dúvidas. É tudo muito bem descrito. A leitura é clara e fluida. A capa é linda e imagino a linda jovem como Helen. A diagramação é linda e muito bem trabalhada, gostei bastante de a cada início de capítulo haver a imagem do castelo da capa com o título do mesmo. Uma leitura excelente para todos que procuram algo de bom e inspirador na vida.

Nota:

- Não, evidentemente. Deus criou as almas, ou espíritos, simples e ignorantes, com a finalidade de se desenvolverem com o passar do tempo, ganhando moralidade e conhecimento. Então, todos os espíritos terão as mesmas condições e oportunidades de progredir. -Pág. 80
- O importante é manter o equilíbrio das emoções, dos sentimentos, e a ligação com Deus. -Pág. 224
- Milady tem razão, está tudo aparentemente bem. No entanto, devemos cuidar ds vigilância e da oração constantes, como nos alerta o Mestre, manter a confiança em Deus e enfrentar o que vier com coragem e firmeza. -Pág. 237
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. Gente, nao conhecia seu blog ainda!! Tava passeando pela blogosfera e o encontrei!!!
    Vou aproveitar e te fazer um convite!
    Está rolando um sorteio especial de 3 anos de blog lá no meu cantinho. Estarei sorteando 4 itens "medievais" que podem servir pra homem e pra mulher.

    Se tiver interessada em participar vou deixar o link aqui pra você preencher o formulário.

    No mais, boa sorte desde já!

    Sorteio do blog

    ResponderExcluir