21 dezembro 2016

Resenha: Se eu Fosse a Cinderela - Gislaine Oliveira

Título: Se eu fosse a Cinderela
Autora: Gislaine Oliveira
Editora: Amazon
Número de Páginas: 56
Ano de Lançamento: 2016
Ebook cedido em parceria com a autora.

Sinopse:
O que você faria se tivesse a oportunidade de viver um conto de fadas? Pois Cinddy não fica nada feliz com essa situação e acaba arrumando grandes confusões em uma das histórias mais famosas de todos os tempos.

"Cinddy é uma garota normal, mas que um dia se encontra perdida dentro de um conto de fadas. Esse poderia ser o sonho de muita gente, mas não o dela. Por que isso tinha que acontecer justamente com Cinddy? Logo ela, que não suporta essa história de príncipe e princesa.
É claro que a menina vai aprontar grandes confusões neste clássico infantil. Afinal, ela é a Cinddy, uma menina forte e independente, que não se deixa abater nem pelas implicâncias das meninas na escola. E agora, levará toda a sua personalidade para a pobre gata borralheira.
Cinddy foi criada com esse propósito: mostrar como uma menina atualizada e decidida iria enfrentar as situações de uma das mais conhecidas princesas. " Gislaine Oliveira

Crítica:

Cinddy é uma garota que sofre por ter tal nome, que a mãe inocentemente colocou pensando em Cinderela. Pois obviamente sua filha seria sua princesa. Outra coisa que atormente Cinddy é a obsessão do mundo com Contos de Fadas, Príncipes e Princesas.
Eu não era mal humorada. Ou era, mas não o tempo todo. Ou era o tempo todo, mas com razão. Eu não tinha nada contra sonhar e tudo mais. Mas era contra essa história de realeza. Eu sabia que quando me apaixonasse, e eu ia me apaixonar, não seria por um príncipe.
Um dia Cinddy acorda em um lugar completamente estranho e pensa que foi sequestrada. Há uma mulher que insiste em chama-la de Cinderela e a força a trabalhar para ela e suas filhas, que diz serem irmãs de Cinddy. Aos poucos ela vai se conformando e aceita a ideia de que está vivendo a vida de Cinderela. Enquanto tem que fazer todas as tarefas de Cinderela, ela acaba conhecendo Vitor e acha que ele é o Príncipe. Vitor é um cara muito legal e logo ele e Cinddy se tornam amigos.
Eu não estava satisfeita com aquilo. Não era como se eu quisesse viver um conto de fadas. Eu estava feliz com a minha vida. Nem tudo era perfeito, mas pelo menos não tinha essa maluquice de rainhas, príncipes e bailes reais.
Ela escuta falar do baile que o Príncipe iria dar, mas pra falar a verdade Cinddy não estava nem um pouquinho interessada em ir nesse baile. Mas a Fada Madrinha não liga pra isso e aparece do mesmo jeito arrumando a garota e fazendo com que ela vá ao baile. Mas... Será que isso tudo é um sonho? Cinddy vai acordar? Se não é um sonho, será que ela vai voltar? Quem é Vitor na verdade?
- Vocês são lindas. E não deviam pensar em se arrumar para agradar alguém, ainda mais um príncipe bobão. – eu disse. Mesmo que esse príncipe seja no fundo um cara muito legal, pensei.
O livro é curtinho, mas a estória se prolonga em você mesmo depois que termina tentando descobrir o que aconteceu depois. Gostei da personalidade de Cinddy que apesar de acreditar que um dia vai encontrar o amor, não acredita que ele vai ser um Príncipe e nem espera por isso. E faz a gente refletir bastante sobre a estória de Cinderela e sobre o Príncipe dela. Por que eu não pensei isso antes? Precisei da Cinddy para me abrir os olhos, hahaha. Vocês só vão entender do que estou falando se lerem. Outra coisa que gostei é que Cinddy se solidariza com as irmãs de Cinderela e é até simpática com elas, o que achei até bem legal.
- Ainda bem. Mas isso é estranho. Quero dizer, se o príncipe se apaixona de verdade pela Cinderela, como ele não a reconhece? Precisa mesmo experimentar o sapatinho em todas as moças?
A linguagem é juvenil e a narração em primeira pessoa favoreceu muito a leitura. A construção da estória fez com que esta fosse surpreendente e encantadora. Este foi o primeiro livro que li da autora, e já desejo ler outros mais. Achei a ilustração da capa bem fofinha, e as outras contidos no início de cada parte do livro também. Super recomendo a leitura!

Nota:

O Vitor. O meu príncipe. Talvez os príncipes existam, afinal. Mas nem todos vêm em cavalo branco ou são bobões. Alguns deles, apenas são normais. E é isso que os torna especiais.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário