30 janeiro 2017

Momento Popcorn: Sully - O Herói do Rio Hudson


Título: Sully - O Herói do Rio Hudson
Ano de Lançamento: 2016
Nacionalidade: EUA
Elenco Principal: Tom Hanks, Aaron Eckhart, Laura Linney, Anna Gun, Autumn Reeser, Jerry Ferrara, Sam Huntington e Holt McCallany.

Sinopse:
15 de janeiro de 2009. Logo após decolar do aeroporto de LaGuardia, em Nova York, uma revoada de pássaros atinge as turbinas do avião pilotado por Chesley "Sully" Sullenberger (Tom Hanks). Com o avião seriamente danificado, Sully não vê outra alternativa senão fazer um pouso forçado em pleno rio Hudson. A iniciativa é bem sucedida, com todos os 150 passageiros a bordo sendo salvos. Tal situação logo transforma Sully em um grande herói nacional, o que não o isenta de enfrentar um rigoroso julgamento interno coordenado pela agência de regulação aérea nos Estados Unidos.


Curiosidades:

As cenas do resgate foram filmadas no Rio Hudson, mesmo local onde ocorreu o verdadeiro acidente.

Tom Hanks passou um tempo na residência de Chesley Sullenberger com ele.

Tom Hanks contou que pintar seu cabelo de branco para as filmagens deu um grande trabalho para a produção.

Laura Linney faz o papel da esposa de Sully, entretanto das poucas cenas que tem com Tom Hanks são ligações telefônicas.

Esta é a primeira vez que o diretor Clint Eastwood trabalhou com Tom Hanks.


Chesley Sullenberger, o verdadeiro piloto, visitou os sets de filmagem a fim de dar maior veracidade para a trama.

O longa é baseado na autobiografia Highest Duty, escrita por Chesley Sullenberger e Jeffrey Zaslow.

Katie Couric, que entrevistou Tom Hanks no filme, também entrevistou Chesley Sullenberger, o verdadeiro piloto, para um programa de TV norte-americano.  

A cena em que Sully e os membros da tripulação aparecem no programa de Davi Letterman foi alterada a partir da entrevista original. 
A estreia do filme foi adiada no Brasil devido ao trágico e triste acidente ocorrido com a equipe de futebol da Chapecoense.

Critíca:
Em Sully - O Herói do Rio Hudson, é contada não apenas a história do pouso que o piloto Chesley "Sully" Sullenberger (Tom Hanks) realizou no rio Hudson (Nova Iorque), mas também sobre tudo o que aconteceu após este pouso. Ao decolar o avião, são atingidos por muitos pássaros que acabam por danificar os dois motores e fazer com que o avião perca a força. Sully e seu co-piloto Jeff (Aaron Eckhart) tentam todas as possibilidades para fazer com que o avião funcione e são orientados a retornar ao aeroporto. Vendo que não era possível retornar, Sully toma uma decisão rápida e arriscada, pousar no Rio Hudson.

No filme é também mostrado o assédio da imprensa com Sully e os outros integrantes da tripulação. A família de Sully também fica sufocada com a imprensa 24 horas em suas portas. Apesar da fama repentina como herói por ter salvo todas as 155 pessoas a bordo contando com passageiros e tripulação, ele terá que enfrentar um julgamento interno no qual querem provar de todas as formas que ele conseguiria retornar ao aeroporto e que não precisava pousar no rio. Sully irá tentar mostrar para eles que a decisão que tomou foi certa e os áudios contidos na caixa preta serão ouvidos pelas primeira vez durante o julgamento.


É um filme muito bom, e nos deixa bem envolvidos, principalmente devido ao fato de estar contando uma história real. Eu quis muitas vezes dar uns tapas naquele povo querendo fazer Sully parecer culpado, o cara pousou um avião na água, ninguém morre, mas querem colocar alguma culpa nele de qualquer jeito. Dava muita raiva o pessoal contra argumentando ele e Jeff. Fiquei achando que o filme seria mostrando apenas o que aconteceu com o avião como muitos filmes do gênero, mas deu para entender depois que não dava para fazer um filme desta maneira já que o acidente aconteceu assim que o avião decolou. Souberam trabalhar bem o filme usando esse processo que rolou após o pouso de emergência e colocando no meio disso tudo memórias da juventude de Sully e do pouso forçado.

Gostei de como trabalharam com Tom Hanks deixando ele bem parecido com o verdadeiro Sully, mas tenho que admitir que foi meio estranho ver ele com cabelo e um bigodão branco. Deixaram o filme o mais realista possível, utilizando até modelo de aparelhos celulares da época. Gostei muito de no final aparecer o verdadeiro Sully, alguns dos passageiros sobreviventes e o pessoal da tripulação. É muito legal conhecer os verdadeiros personagens daquela história.


Os atores foram ótimos, conseguiram passar bastante emoção pra gente. Os efeitos do filme também são muito bons, apesar que a explosão nos dois motores não me pareceu muito realística... Ficou bom, mas deu pra ver que era efeito. Admiro muito a decisão da Warner de adiar o lançamento do filme por aqui em solidariedade ao acidente da Chapecoense. Recomendo o filme, não me recordava desse acontecido e é muito bom conhecer uma história como essa.

Nota:
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário