18 julho 2017

Resenha: O Aprendiz do Arquimago - Michael A. Iora


Título: O Aprendiz do Arquimago
Autor: Michael A. Iora
Editora: Chiado Editora
Número de Páginas: 630
Ano de Lançamento: 2015
Cedido pela Editora.

Sinopse:
“Você foi honrado com a oportunidade de ser meu discípulo, uma honra que qualquer um dos acadêmicos de Everard desejaria, pois embora tenham bons mestres, eu estou muito acima de todos eles. O treinamento será muito mais árduo, não duvide disso, mas terá suas recompensas. Se sobreviver, digo, se resistir até o final, sob a minha orientação você virá a tornar-se um mago de altíssimo valor, admirado e invejado por muitos.”

Entretanto, o menino elfo descobre amargamente que tamanha honra não é concedida sem que um alto preço tenha de ser pago, e que simplesmente estar sujeito ao desagradável temperamento de seu excêntrico e arrogante tutor deve ser a pior prova que alguém pode ter de suportar. Não obstante, ele se vê obrigado a enfrentar não apenas um treinamento extremamente rígido e insano, mas também a saudade de sua mãe e um sentimento de urgência crescente.

Conseguirá o garoto conquistar sua tão desejada graduação, superando todos os desafios impostos e, pior, a crueldade e intolerância de seu próprio mestre?


Em O Aprendiz do Arquimago, somos apresentados a Aglarion um jovem elfo que ainda em sua infância resolve que quer ser um guerreiro, entretanto sua mãe temendo por sua segurança, o convence a se tornar um Mago e o confia a um velho amigo, Kyehntw'arthal, o maior Arquimago de todos.

Kyehn é um tharalaist, metade elfo e metade humano, mau humorado, arrogante e excêntrico. Ele vive escondido em um lugar ermo que poucos sabem a localização, consigo vivem a doce Vedriny, Seu Inútil e Dona Roliça. Vedriny é uma elfa mais ou menos da mesma idade que Aglarion, ela é protegida de Kyehn que a pegou para criar depois da morte de seus pais. Ela também é aprendiz do mestre. Seu Inútil e Dona Roliça são humanos escravos que foram salvos por Kyehn de um dono horrível, agora eles trabalham em sua casa e recebem um bom tratamento, na medida do possível já que estamos falando de Kyehntw'arthal.

Aglarion se muda para a casa do arquimago e começa o seu treinamento, que cá entre nós, não é nada fácil. Além de colocá-lo para estudar diversos livros, Kyehn começa a lhe dar desafios e testes físicos. O elfo acha tudo muito estranho e questiona durante quase o livro todo os métodos de ensino de seu mestre. Kyehn está sempre insistindo que o garoto pare de reclamar, ou desista de seu treinamento. E mesmo longe da mãe e de toda a família, o elfo tenta ser forte e resistir para alcançar seu objetivo. Ele tem uma misteriosa motivação e é ela que não o deixa desistir de tudo. Aglarion também faz amizade com a doce e encantadora Vedriny, e embora o mago não deixe sobrar muito tempo para lazer, os dois acabam se tornando grandes amigos.

Vários anos se passam e podemos acompanhar o crescimento dos personagens, a evolução do treinamento e várias coisas que acontecem em Herannon (o universo onde se passa a estória). Um terrível mal do passado assombra Kyehn e outros grandes magos, conspirações, traições e mistérios envolvem a leitura.

O que falar desse livro maravilhoso e que eu amei?! Confesso que ao iniciar o livro eu não imaginava que fosse gostar tanto e me envolver tanto com a estória. O livro começa um pouco lento, mas você também mal percebe e já se vê presa ao livro e aos personagens. Tanto a estória quanto os personagens são cativantes. Apesar do egocentrismo de Kyehn, até mesmo ele é um personagem cativante e a quem você se apega facilmente, pelo menos eu gostei dele e até mesmo ria de suas façanhas. Nomes de personagens como Seu Inútil, Dona Roliça e o bichinho de estimação de Kyehn, uma cocatrice chamada Desgraça, me fizeram rir e ver isso como um diferencial interessante no livro. Confesso que até mesmo a cocatrice me cativou e a achava fofa, sabe aqueles bichinhos que de tão feio acabam sendo fofos? Foi esse o meu sentimento, haha.

O autor soube como construir a estória muito bem, administrando o vasto universo que criou, os personagens e as tramas em que os envolvem. Porém o mistério sobre a motivação de Aglarion não foi desvendada e fiquei do início ao fim me perguntando a quem o Elfo precisava tanto ajudar, de certo era alguém importante para a família. Então diante disso eu imagino que possa haver um segundo livro onde esse mistério é esclarecido, ou quem sabe no conto do autor A Sina do Forasteiro?

A capa do livro é maravilhosa, amei a ilustração e é uma cena que está no livro, identifiquei na hora em que li. A diagramação é simples e perfeita para a leitura. Não encontrei nenhum erro de revisão durante a leitura, e achei o material do livro de altíssima qualidade.


Nota:
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. Olá, tudo bem? Lindo seu blog, já estou seguindo. Ainda não conhecia esse livro, já quero ler.

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir