11 dezembro 2017

Resenha: Dois Mundos (Tesouros da Tribo de Dana #1) - Simone O. Marques


Título: Dois Mundos (Tesouros da Tribo de Dana #1)
Autora: Simone O. Marques
Editora: Butterfly
Número de Páginas: 256
Ano de Lançamento: 2016 
Livro cedido em parceria com a Butterfly Editora.

Sinopse:
Num futuro distópico, Marina é uma jovem brasileira que carrega a força e os poderes de três grandes deusas celtas. Ela é aquela que cria, acolhe e mata. Protegida por guerreiros, perseguida por mortais e desejada por deuses, precisa encontrar os míticos tesouros da Tribo de Dana se quiser salvar o que restou do mundo...
Ano de 2021. A Terra está devastada e poucos são os sobreviventes. No Brasil, grupos se reúnem em pequenas vilas em torno da água potável. O oásis neste caos fica na Chapada dos Veadeiros, na Fazenda Tribo de Dana, onde vive um povo guerreiro que acredita tudo ser parte dos planos da Grande Mãe. Neste paraíso vive Marina. Considerada o avatar de três grandes deusas celtas, precisa lidar com poderes diversos de cura, vida e morte. Ao abrir o véu que separa o mundo de mortais e deuses, a jovem liberta antigas divindades. E dois domínios distintos estão prestes a colidir quando ela descobre que detém nas mãos o destino da humanidade.


Dois Mundos é uma obra distópica, bem diferente do que estamos normalmente acostumados, mas com a cara da Butterfly Editora. O mundo foi destruído por uma série de catástrofes e acontecimentos. Muitos morreram, mas alguns lutam para sobreviver. No entanto, na Tribo de Dana, localizada na Chapada dos Veadeiros, não é necessária essa luta pela sobrevivência. Abençoados pelos deuses celtas, entre eles Dana, Brigit e Morrigan, eles vivem tranquilamente, nada lhes falta e eles mantém suas tradições.

Na Tribo de Dana, eles abrigam Marina, também conhecida como Pequena Dana. Ela é o avatar da deusa, e as 3 deusas habitam em seu ser. Todos a tratam com dedos, e tem medo dela, quando na verdade Marina é uma garota normal e deseja ser tratada assim, e não como uma deusa. Os Guerreiros de Dana estão sempre a seguindo para garantir sua segurança, e ela constantemente briga com eles, principalmente Brian e Artur, por não deixarem ela fazer nada sozinha ou que possa ser "perigoso". Ela adora desafiar os guerreiros, e é em um desses momentos que ela acaba metendo os 3 em uma enrascada, indo parar em outro mundo, o mundo dos deuses, onde eles tem que coletar tesouros para salvar a Tribo de Dana.

Gostei bastante do livro. A autora foi muito criativa em criar o universo da estória e criar uma distopia envolvendo deuses celtas com o fim do mundo. E o melhor de tudo, é que a estória se passa no Brasil e com protagonistas brasileiros e maravilhosos. Sempre vou dizer que amo quando os autores nacionais escrevem estórias fantásticas que se passam em nosso país. Os personagens são bem construídos e distintos, podendo distinguir cada um facilmente com suas características próprias. Como acontece comigo na maioria dos livros com deuses, eu acabo não gostando muito das divindades, pois eles abusam muito dos personagens que são queridos para mim.

A escrita do livro é leve e te prende a ela de imediato, com descrições na medida certa de personagens e locais, deixando sua imaginação livre para visualizar. Tudo o que precisa ser explicado, é através da narrativa e no decorrer da estória. A diagramação do livro é muito linda e cheia de detalhes como desenhos celtas ao final dos capítulos, a fruta no topo da página e as graminhas na parte debaixo, e a folha de início do capítulo que é muito bonita também. Amo livros com essas mimosidades. A capa é maravilhosa e chama a atenção, além disso tem muitos detalhes legais, como na parte de trás que mostra um cenário destruído, ao qual só me atentei quando já estava quase terminando o livro.

Nota:
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário